domingo, 6 de setembro de 2009

Quintanares



A preguiça é a mãe do progresso. Se o homem não tivesse preguiça de caminhar, não teria inventado a roda.

Se me esqueceres, só uma coisa, esquece-me bem devagarinho.

AS INDAGAÇÕES
A resposta certa, não importa nada: o essencial é que as perguntas estejam certas.

A arte de viver é simplesmente a arte de conviver ... simplesmente, disse eu? Mas como é difícil!

Reflexão de Lavoisier ao descobrir que lhe haviam roubado a carteira: nada se perde, tudo muda de dono.

Sonhar é acordar-se para dentro.

DA OBSERVAÇÃO
Não te irrites, por mais que te fizerem...
Estuda, a frio, o coração alheio.
Farás, assim, do mal que eles te querem,
Teu mais amável e sutil recreio...

Esses que puxam conversa sobre se chove ou não chove - não poderão ir para o Céu! Lá faz sempre bom tempo...

Autodidata é um ignorante por conta própria.

Não tem porque interpretar um poema. O poema já é uma interpretação.

De um autor inglês do saudoso século XIX: O verdadeiro gentleman compra sempre três exemplares de cada livro: um para ler, outro para guardar na estante e o último para dar de presente.

A amizade é um amor que nunca morre.

Tão bom morrer de amor e continuar vivendo.

BILHETE
Se tu me amas, ama-me baixinho
Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho, Amada,
que a vida é breve, e o amor mais breve ainda...

O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo...

1 comentários ébrios:

S.L. disse...

E as lágrimas descortinam no rosto e bailam no fim do pescoço.

Lindo, lindo!