quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Dia, noite, e tampouco...

Nasci no horário crepuscular,
o sol já havia se ido
e a lua já estava no céu,
não faço parte do dia,
nem sou um filho da noite.
Não sou cegado pela luz,
nem me deixo enganar pelas sombras...
Não sou o certo, ou o errado,
Não sou o bem, ou o mal,
Não sou o inferno, ou o paraíso,
Não sou o passado, ou o futuro,
Não sou o amigo, ou o inimigo,
Não sou um demônio,
Tampouco sou Deus.
Mas,
Eu sou o certo e o errado,
o bem e o mal,
o inferno e o paraíso,
o passado, o futuro, o presente...
o amigo inimigo,
e o inimigo amigo,
o paradoxo dos opostos, e o seu contrário contra-senso,

Eu nasci à meia-luz.

1 comentários ébrios:

SO.L. disse...

A luz de velas?

Ultra sexy.